Tudo começou em 2011 quando Betty e Brenda Agi trabalharam como biomédicas voluntárias em Angola, atendendo em hospitais e dando aulas de dança para crianças e jovens.

Em um dos finais de semana, foram ao deserto Kalahari dar aulas de dança a população local onde viram crianças dançando descalças e com os pés feridos pelo contato com a areia quente. Presenciar essa cena, afetou profundamente as suas visões sobre o mundo e suas responsabilidades pessoais sobre ele.

Em agosto do mesmo ano retornaram ao Brasil, mas aquela cena não saiu da memória. Foi a partir daí que surgiu a campanha “Doe Chinelos”, onde começaram uma caminhada em direção às necessidades do mundo. A campanha inicial tinha o objetivo de arrecadar 250 pares de chinelos, porém ao divulgarem a causa na internet, outras pessoas se sentiram tocadas a trabalhar para sanar este problema. Com a divulgação, a Campanha Doe Chinelos foi realizada em 17 estados brasileiros entre 2012-2013. As pessoas envolvidas começaram a receber pedidos e relatos de pessoas que viviam sem calçados em vários lugares no mundo. Assim viu-se a necessidade de manter o trabalho e estruturar uma equipe. Em seu primeiro ano, foram arrecadados e doados 10 mil pares de chinelos para comunidades no Brasil, Haiti, Angola e Índia.
Assim nasceu a ONG Compaixão Internacional e hoje com mais de 55 mil pares de chinelos doados e ações humanitárias em saúde, educação e serviço social em diversos países, a organização possui 16 coordenadores, três escritórios no Brasil, um em Angola, mais de 40 voluntários fixos e mais de 1.000 voluntários temporários. Existimos para fomentar a ideia de que com pequenos passos se transforma o mundo e que a dignidade humana é o bem mais valioso.
Atualmente a ONG desenvolve sete projetos ao longo do anoDoe Chinelos,  Projeto Kiluba, Sol é para Todos, Projeto Campo, Compaixão Angola, Compaixão no Sertão e Compaixão Rio de Janeiro.